CALULU UMA COMUNA HISTÓRICA QUE APOSTA NO TURISMO

Uma fortaleza com dois séculos de história

Calulo-040 RET

Libolo é um município da Província do Cuanza Sul e a sua sede é a vila do Calulo. A vila de Calulo foi Instituida pela administração Portuguesa no dia 31 de Janeiro de 1900. Nos primeiros contactos com a população, após a tomada da zona, os portugueses, com dificuldade ­para pronunciarem o nome “Luculo”, entenderam chamar o bairro   de “Calulo”. Libolo, é proveniente de “Lubulo”, nome do antigo soba de Calulo, Ngana Lubulo, oriundo da Quiçama. O administrador do município do Libolo, Luís Mariano Lopes Carneiro, disse que a Administração tem em carteira um projecto que visa requalificar   os vários sítios de atracção turística da região, de que faz parte a zona da “Pedra Escrita”.

As autoridades Municipais de Libolo, Província de Cuanza Sul, estão a trabalhar em projecto para divulgação de vários pontos turísticos existentes na região como  a Pedra escrita, o Miradouro da Fazenda Cabuta, Forte do Quissongo, Margem do Rio Kwanza na ponte Filomena, barragem da Fazenda Belo Horizonte e o monte Quiria Matoge.

 Cuanza sul tem um forte potencial turístico, desde o clima agradável, lugares históricos e sagrados como é o caso de alguns túmulos, muros de pedras, instrumentos que servem de meio de identificação dos usos e costumes dos antepassados, encontram-se vandalizados pelos caçadores furtivos, e esta em mau estado de conservação o que  preocupa as autoridades locais.

No dia 13 de Junho realizaram-se as festas da cidade,  Festi-Calulo,   seguidas de peregrinação à capela de Nossa Senhora de Fátima de Calulo. O titular da Cultura informou  que no Fest-Calulo deste ano, o seu sector prevê organizar, pela primeira vez, a feira do artesanato, ­para mostrar algumas peças de artesanato produzido na região.

A Fortaleza de Calulo, situada no centro da vida sede, foi construída entre 1893 a 1894  pelos conquistadores portugueses e servia para auxiliar no avanço das conquistas militares contra os povos da região e facilitar o comércio de escravos.
A sua edificação teve a participação   do trabalho forçado da população que levou à morte de muitas pessoas que eram obrigadas a carregar as pedras para a edificação do muro do forte em balaios à cabeça.
Os primeiros habitantes da região habitavam em zonas montanhosas, entre elas o bairro Luculo que se situava no cimo da montanha onde actualmente está localizada a Fortaleza de Calulo. Nos primeiros contactos com a população, após a tomada da zona, os portugueses, com dificuldade ­para pronunciarem o nome “Luculo”, entenderam chamar o bairro   de “Calulo”. Libolo, é proveniente de “Lubulo”, nome do antigo soba de Calulo, Ngana Lubulo, oriundo da Quiçama.
Construída no centro da vila e próximo da residência oficial do administrador colonial do município, a fortaleza é considerada  importante monumento de arquitectura militar que continua a receber o tratamento que lhe confere no contexto nacional o símbolo do património cultural angolano, dada a sua dimensão histórica.

Dados geográficos

Libolo é um município da província do Cuanza Sul e a sua sede é a vila do Calulo. Tem 9.000 quilómetros quadrados e cerca de 89 mil habitantes, de acordo com dados do Censo de 2014.
É limitado a norte pelos municípios de Cambambe e Cacuso, a este pelo município de Mussende, a sul pelo município da Quibala, e a oeste pelo município da Quiçama. É constituído pelas comunas de Calulo, Cabuta, Munenga e Quissongo. Está localizado a 268 quilómetros da sede capital de província, Sumbe, e a 285 quilómetros de Luanda, a capital do pais.