TURISMO PODE FUNCIONAR COMO INDUTOR DE DESENVOLVIMENTO ECONÓMICO.

Pungo Andongo 4O Director-Geral do Instituto de Fomento Turístico de Angola (INFOTUR), Eugénio Clemente, disse recentemente que o sector turístico de Angola apresenta-se com condições para dar expressão à economia, devendo, para o efeito, contar nesta primeira fase com parceiros como a  TAAG, a Associação de Resort e Hotéis,  o Serviço de Migração e Estrangeiros (SME) e outros players do Sector.

Eugénio Clemente, que falava no encontro com representantes da TAAG, do SME e da Associação de Resort e Hotéis, afirmou acreditar que o sector pode funcionar como indutor para o desenvolvimento de outros ramos da economia do país, que se ressentem dado o quadro económico actual. Cada uma das instituições presentes neste encontro, acaba por ter um papel determinante nas acções que queremos implementar a curto, médio e longo prazo”.

O turismo faz-se com mecanismos de mobilidade, a TAAG e o SME jogam um significativo papel na estratégia de mobilidade dos turistas nacionais e estrangeiros pelos vários destinos que Angola oferece.

O administrador comercial da TAAG, William Bouttler, afirmou considerar o turismo um factor importante para o futuro da companhia que administra, sendo uma das fontes de negócios daquela empresa. Nesse quadro, a transportadora vai direccionar também o seu segmento de negócios para o turismo de recreação, e não apenas para turismo de negócios que é o actual foco.

Para o representante da Associação de Resort e Hotéis, Alexandre Portugal, a solução para a atracção de mais turistas passa por diversas atitudes que poderão ser adoptadas pelos players do sector, há a necessidade  de  ultrapassar-se os altos preços cobrados pelos hotéis e para a transportação aérea dentro de Angola, o que deixa o mercado interno em desvantagem perante os países da região e ou da Europa. “Temos consciência de que não somos um dos países mais atractivos em África em termos de serviços turísticos, daí a necessidade de melhoria continua as infraestruturas neste sector”.